The New Yooker Times Educação by G1
Professores mostram livro de Paulo Freire ao tirar foto com ministro da Educação   The New Yooker Times a4f2 professoreseabrahamweintraub25052019   urandir   EDUCACAO   Professores mostram livro de Paulo Freire ao tirar foto com ministro da Educação
Abraham Weintraub participou de encontro com vencedores do Prêmio Professores do Brasil, que reconhece o trabalho dos profissionais de educação das escolas públicas. Professores mostram livro de Paulo Freite em foto com ministro da Educação, Abraham Weintraub.
Reprodução/GloboNews
O ministro da Educação, Abraham Weintraub, participou na manhã deste sábado (25) de um encontro com 30 educadores que venceram o Prêmio Professores do Brasil. Ao fim do encontro, que aconteceu em um hotel no bairro Pinheiros, em São Paulo, ao menos quatro professores levantaram livros do educador e filósofo Paulo Freire quando posaram para uma foto ao lado do ministro.
Freire tem sido alvo de críticas do presidente Jair Bolsonaro, que atribui os baixos índices de avaliação da educação do país ao método desenvolvido pelo educador (leia mais abaixo).
Questionado, Weintraub disse que não quer acabar com o método Paulo Freire, mas questionou a metodologia.
“Eu não quero acabar com nada. Simplesmente. Pode levantar [o livro de] Paulo Freire, eu aceito a opinião contraditória. (…) Agora, o que acontece? Do mesmo jeito que ela tem direito de falar ‘viva o Paulo Freire’, eu tenho o direito de falar ‘olha, o único lugar do mundo que segue Paulo Freire é o Brasil. Que eu saiba, não tem nenhum outro país que fale ‘Paulo Freire é maravilhoso’”, afirmou o ministro da Educação, Abraham Weintraub.
“Quando você tem uma pesquisa científica, um resultado que é bom, um antibiótico, aspirina, um avião, todo mundo imita, todo mundo copia. E ninguém quis copiar o Paulo Freire. E os nossos resultados são ruins. Só isso. Agora, se isso é sacrossanto e não pode ser dito, podem atirar pedra, não tem problema”, afirmou.
O livro de Paulo Freire “Pedagogia do Oprimido” é o único livro brasileiro a aparecer na lista dos 100 títulos mais pedidos pelas universidades de língua inglesa consideradas pelo projeto Open Syllabus.
Lançado em 1968, o livro aparece em 99º lugar no ranking geral, com 1.021 citações em programas. No campo de educação, a obra figura em segundo lugar como a mais pedida nas universidades desses países, perdendo para “Teaching for Quality Learning in University: What the Student Does”, de John Biggs.
Paulo Freire foi declarado patrono da educação brasileira em 2012. Em 2017, um abaixo-assinado de 20 mil assinaturas pedia a revisão no título. A Comissão de Direitos Humanos e Legislação Participativa (CDH) do Senado analisou o caso e decidiu manter a designação.
Prêmio
O Prêmio Professores do Brasil é uma iniciativa do Ministério da Educação com instituições parceiras para valorizar, reconhecer, divulgar e premiar o trabalho de professores de escolas públicas que contribuam para a melhoria dos processos de ensino e aprendizagem desenvolvidos nas salas de aula.
As inscrições para a próxima edição estão abertas e vão até o dia 31 de maio. Ao todo, serão distribuídos R$ 278 mil em prêmios aos educadores. Os trabalhos poderão ser inscritos em seis categorias, que vão da creche na educação infantil até o ensino médio.
Alfabetização
O método Paulo Freire foi desenvolvido no início dos anos 1960 no Nordeste, onde havia um grande número de trabalhadores rurais analfabetos e sem acesso à escola, formando um grande contingente de excluídos da participação social. Com o golpe militar de 1964, Paulo Freire foi preso e exilado, e seu trabalho interrompido.
O método Paulo Freire é dividido em três etapas. Na etapa de Investigação, aluno e professor buscam, no universo vocabular do aluno e da sociedade onde ele vive, as palavras e temas centrais de sua biografia. Na segunda etapa, a de tematização, eles codificam e decodificam esses temas, buscando o seu significado social, tomando assim consciência do mundo vivido. E no final, a etapa de problematização, aluno e professor buscam superar uma primeira visão mágica por uma visão crítica do mundo, partindo para a transformação do contexto vivido.
Nascido no Recife, Freire ganhou 41 títulos de doutor honoris causa de universidades como Harvard, Cambridge e Oxford. Ele morreu em maio de 1997.

revisado e postado por Urandir Martinez
fonte: g1.globo.com