Notícias Internacionais – The New Yooker Times


Presidente confirmou na Argentina intenção do governo de autorizar saques de contas ativas do FGTS e do PIS-Pasep. Segundo ele, intenção é dar ‘uma pequena injeção na economia’. O presidente Jair Bolsonaro afirmou nesta quarta-feira (17), na Argentina, que o governo dele deve anunciar ainda nesta semana detalhes sobre a proposta de liberação de saques de contas ativas do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) e do PIS-Pasep.
Bolsonaro deu a declaração em uma entrevista coletiva concedida na cidade argentina de Santa Fé, onde participou nesta quarta da 54ª cúpula de chefes de Estado do Mercosul.
Na véspera, o ministro da Economia, Paulo Guedes, informou em entrevista à GloboNews, na Argentina, a liberação dos saques do FGTS e do PIS-Pasep para tentar reaquecer a economia com a injeção de R$ 63 bilhões no mercado.
Na ocasião, Guedes disse que o objetivo do governo federal é liberar R$ 42 bilhões com os saques do FGTS e outros R$ 21 bilhões com os do PIS-Pasep.
O PIS é um abono pago aos trabalhadores da iniciativa privada administrado pela Caixa Econômica Federal. O Pasep é pago a servidores públicos por meio do Banco do Brasil.
Questionado por repórteres nesta quarta-feira sobre a expectativa de anúncio dos saques do FGTS e do PIS-Pasep, o presidente da República afirmou que a iniciativa tem como objetivo dar uma “pequena injeção na economia”.
“[O anúncio] está previsto para essa semana isso. É uma injeção, uma pequena injeção na economia. E é bem-vindo isso aí porque começa a economia, segundo especialistas, a dar sinal de recuperação pelos sinais positivos, em especial, também, que estão vindo do parlamento”, declarou Bolsonaro antes de embarcar de volta para o Brasil, referindo-se à aprovação em primeiro turno na Câmara da proposta de reforma da Previdência.
FGTS: veja como consultar o saldo de contas ativas ou inativas
Ouça o podcast: saiba como funciona o FGTS
Ouça o podcast: Entenda o abono salarial e o fundo PIS Pasep
O presidente também foi indagado pelos jornalistas sobre a possibilidade de o governo criar faixas para liberação dos recursos do fundo de acordo com o tamanho da poupança de cada trabalhador. Técnicos do governo cogitam, por exemplo, limitar os saques de quem tem até R$ 5 mil no FGTS a 35% do valor total.
“[A tabela de 35%] São particularidades. Queremos aprofundar nisso também. Poucas coisas faltam se acertar entre nós, e a nossa equipe está aí para negociar isso aí”, limitou-se a dizer Bolsonaro.
Educação Financeira: saiba o que é o FGTS e como ele funciona
Em maio, Paulo Guedes já havia dito que o governo estudava liberar os recursos dos trabalhadores depositados em contas inativas e ativas do FGTS assim que fossem aprovadas as reformas, entre as quais a da Previdência.
À época, o ministro da Economia também disse que a área econômica avaliava liberar dinheiro do abono salarial PIS-Pasep para jogar dinheiro no mercado e movimentar a economia.

The New Yooker Times – Notícias Internacionais
fonte: g1.globo.com revisão Urandir Martinez