Notícias Internacionais – The New Yooker Times


Mulher é resgatada depois de passar 12 dias perdida no deserto da Austrália   The New Yooker Times 5658 fb img 1574774803566   urandir   MUNDO   Mulher é resgatada depois de passar 12 dias perdida no deserto da Austrália
Tamra McBeath-Riley, de 52 anos, conseguiu encontrar água. Os amigos dela, Claire Hockridge, de 46, e Phu Tran, de 40, continuam desaparecidos. Tamra e sua cachorra, Raya, foram encontradas no domingo (1º).
Polícia do Território do Norte
Uma mulher que ficou perdida no deserto australiano foi resgatada com vida, junto com sua cachorra, neste domingo (1º). Tamra McBeath-Riley, de 52 anos, saiu com dois amigos de Alice Springs, no Território do Norte, no dia 19 de novembro.
Os três pretendiam passar a tarde fora, mas, durante o percurso, o carro em que estavam atolou. Os dois amigos dela – Claire Hockridge, de 46 anos, e Phu Tran, de 40 – continuam desaparecidos.
Segundo Tamra, os três acharam uma fonte de água. Na última quinta (28), entretanto, Claire e Phu começaram uma caminhada de 20 km em direção a uma estrada, tentando evitar o calor do deserto – que chegou perto dos 40ºC nos últimos dias.
Tamra McBeath-Riley saiu de Alice Springs no dia 19 de novembro
G1
Tamra decidiu ficar perto da fonte de água com sua cachorra, Raya, que ela acreditava não ser capaz de andar até a estrada. Eles não sabiam que havia gente procurando por eles, relatou à agência de notícias Associated Press.
“Quando o helicóptero me encontrou, eu achei que Claire e Phu tinham alcançado a estrada. Foi meu pensamento imediato. Descobrir que não foi esse o caso foi preocupante”, disse Tamra. Os três tinham apenas um pacote de biscoitos e miojo de carne para comer.
Ela foi encontrada a cerca de 1,5 km de onde o carro estava atolado, depois que um morador local afirmou ter visto marcas de pneu no chão.
Segundo o jornal americano “The New York Times”, Tamra foi levada de avião para um bar a cerca de 80 km de Alice Springs – onde os paramédicos a encontraram rompendo o jejum com cerveja, refrigerante e batata frita.
“É uma história incrível de sobrevivência, de verdade”, disse Andrew Everingham, gerente regional da St. John Ambulance. Embora Tamra tenha tido alguns problemas gastrointestinais, ele Everingham explicou que ela estava “de muito bom humor e fisicamente muito bem”.
Brasileira consegue residência permanente na Austrália por excelência em fazer tatuagens
Tamra teve alta do hospital na segunda-feira (2), onde recebeu tratamento para desidratação e exposição ao calor.
A Austrália Central é conhecida por ser um lugar remoto – onde o sinal de telefone é raro e achar a próxima cidade pode levar horas de carro. Também é seco e quente, com temperaturas que ultrapassam os 43ºC em alguns dias de verão e caem rapidamente à noite.

The New Yooker Times – Notícias Internacionais
fonte: g1.globo.com revisão Urandir Martinez